-

Dia de sol com algumas nuvens e névoa ao amanhecer. Noite com poucas nuvens.

14/06/2018 11:40

Vacinação contra gripe é prorrogada até 22 de junho

Pessoas pertencentes aos grupos prioritários devem procurar UBS mais próxima para se imunizar. Em Ibiporã, cobertura está em 82,34%

Vacina está disponível em todas as UBSs de Ibiporã

Fotos Crédito: Reprodução

Fonte: Caroline Vicentini/NCS/PMI

As baixas coberturas vacinais registradas na Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe acenderam um alerta e o Ministério da Saúde prorrogou a vacinação até o dia 22 de junho. Em Ibiporã, a vacina continua disponível gratuitamente em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) para pessoas com 60 anos ou mais, crianças de 6 meses a 4 anos de idade, gestantes, puérperas (mulheres em até 45 dias depois do parto), profissionais de saúde, indígenas, portadores de doenças crônicas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e professores das instituições públicas e privadas.

 


Para se imunizar, basta comparecer a uma UBS com documentos pessoais e carteira de vacinação, para facilitar os atendimentos e o registro da dose. A vacina é aplicada em dose única para todos os grupos prioritários, exceto as crianças de seis meses a cinco anos incompletos, que são imunizadas em duas doses, com intervalo de 30 dias entre cada uma. No entanto, aquelas crianças que já receberam as duas doses em 2017, necessitarão tomar apenas dose única agora.

 

Segundo o Ministério da Saúde, após o fim da campanha, caso haja disponibilidade de vacinas nos estados e municípios, a vacinação poderá ser ampliada para crianças de cinco a nove anos de idade e adultos de 50 a 59 anos.

 

Conforme o Ministério da Saúde, a vacina protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da Organização Mundial da Saúde (OMS), (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). “É muito importante que as pessoas consideradas do grupo prioritário procurem as unidades de saúde para se protegerem contra a gripe. A vacina é a medida mais eficaz para evitar a doença e garante proteção às pessoas com mais risco de desenvolverem a forma grave da doença”, ressalta a coordenadora do Programa de Imunização da Secretaria Municipal da Saúde, Sebastiana Riechel.

 

A vacina somente é contraindicada em caso de histórico de reação anafilática em doses anteriores e alergia grave relacionada ao ovo de galinha e seus derivados.  Em doenças agudas febris moderadas ou graves recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença.

 

 

Números da campanha

 


Conforme o setor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, até o momento, 12.623 doses da vacina foram aplicadas em Ibiporã desde o início da campanha, em 23 de abril, o que corresponde a 82,34% dos grupos prioritários. O governo federal preconiza a cobertura mínima de 90% de vacinação. Apenas o grupo dos idosos atingiu a meta (93,86%). Crianças e gestantes são os que apresentam menor cobertura vacinal – 61,53 e 61,10% - respectivamente. “Como ações as equipes estão se organizando para continuar a busca ativa de gestantes, crianças e puérperas. Além disso, os profissionais das UBS estão novamente contactando os CMEIs e professores para imunizar crianças e professores”, informa Sebastiana.


De acordo com o Ministério da Saúde, a vacina tem efeito protetor enorme tanto para a mãe quanto para a criança. A mãe porque na gravidez, pela sua condição de gestante, tem uma baixa imunidade, então ela está mais propensa a adquirir a gripe. Quando a mãe toma a vacina, passa anticorpos para o seu filho, ainda na barriga, e a criança vai nascer já com uma imunidade chamada de passiva, que vai da mãe para o filho.

 

Serviço:

 

 

Campanha de Vacinação contra a Gripe

 

 

Quando: até 22 de junho (sexta-feira)

 


Local: Todas as UBSs

 


Público-alvo: pessoas com mais de 60 anos, crianças de seis meses até 4 anos 11 meses e 29 dias, gestantes, puérperas  - mulheres no período até 45 dias após o parto-, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, indígenas, trabalhadores da saúde, portadores de doenças crônicas não transmissíveis ou em condições clínicas especiais, que possuam prescrição médica,  trabalhadores e detentos do sistema prisional e professores do ensino regular e superior de escolas públicas e privadas, que estejam em atividade

 

O que levar: Carteira de Vacinação e documento de identificação com foto; solicitação médica que conste a doença de base, para os doentes crônicos; declaração da instituição que é vinculado e documento de identificação com foto, para professores; o registro de nascimento ou declaração de nascidos vivos, para as puérperas