-

Dia de sol, com nevoeiro ao amanhecer. As nuvens aumentam no decorrer da tarde.

12/06/2019 13:45

Alunos do 2º e 5º anos da Rede Municipal participam da Prova Paraná

Segunda edição do exame está sendo aplicada para 1.244 estudantes. Objetivo é identificar dificuldades e habilidades em Língua Portuguesa e Matemática

Fotos Crédito: Divulgação/SEED

Fonte: De Caroline Vicentini/NCSl/PMI. Com informações da AEN

Alunos do 2º e 5º anos da Rede Municipal de Ensino de Ibiporã participam esta semana da segunda edição da Prova Paraná, uma avaliação diagnóstica desenvolvida pela Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (SEED) que tem como objetivo identificar as dificuldades e as habilidades deles no processo de aprendizagem de Língua Portuguesa e Matemática e também a fluência na leitura.

 


A avaliação está sendo aplicada em todas as escolas da rede estadual e nas escolas municipais de 398 cidades. O balanço só deve sair nos próximos dias, mas a estimativa é de participação de cerca de 1 milhão de alunos da rede estadual e 250 mil das redes municipais.

 


A Prova Paraná é uma ferramenta para o professor, equipe gestora da escola, secretária municipal de educação e sua equipe elaborarem a partir de evidências, ações de melhoria da aprendizagem. A primeira etapa foi realizada em março e contará com mais duas edições até o final do ano.

 


Na segunda-feira (11) foi aplicada a Prova Paraná para 584 alunos dos quintos anos de todas as escolas.

 


Uma das grandes novidades dessa segunda edição é a Prova Paraná – Fluência, uma avaliação voltada para cerca de 127 mil estudantes do 2º ano do Ensino Fundamental das redes municipais e da rede estadual. O objetivo é verificar a fluência de leitura das crianças em fase de alfabetização. Em Ibiporã, 660 alunos serão avaliados até sexta-feira (14).

A avaliação é realizada totalmente por aplicativo de celular desenvolvido pelo Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (CAEd/UFJF). O app pode ser baixado no próprio celular do aplicador, sem custo algum.


Outra inovação tecnológica é a correção das provas por meio aplicativo de celular Corrige, desenvolvido pelo Departamento de Tecnologia e Inovação Educacional da Secretaria de Estado da Educação e do Esporte.